Segue-nos por email

Biografia


Destino Oculto - 2004
Os Leapkick são uma banda rock de originais, em português, oriunda da cidade alentejana de Elvas. A banda pretende promover os seus temas inéditos, escritos na língua de Camões, cujas influências resultam de grupos rock como Xutos & Pontapés, Red Hot Chili Peppers, Velvet Revolver ou Muse. 
O núcleo duro do grupo encontra-se unido desde o final do ano de 2003, altura em que se iniciaram os primeiros ensaios num projecto musical “Destino Oculto”, no entanto, depois dessa primeira experiência actuam com o novo nome – Leapkick - a 27 de Setembro de 2008, sendo esta data considerada como a de fundação do grupo.
Leapkick - 2008
A partir desse momento o colectivo tem passado por eventos de índole cultural como Semanas da Juventude, Queimas das Fitas, Festivais de Bandas de Garagem e outras iniciativas em cafés-concerto. Do percurso já percorrido, importa destacar a presença em várias localidades de norte a sul do país, tais como Albufeira, Avis, Borba, Campo Maior, Elvas, Gouveia, Seia ou Porto. 
Leapkick - 2009
Nos últimos anos, os Leapkick foram banda suporte em espectáculos com nomes consagrados da música nacional, tais como os portuenses “Classificados” (2009), “Tara Perdida” (2010) e “Kumpania Algazarra” (2011).
Actualmente, o grupo encontra-se a promover novas composições originais, alargando o seu repertório de inéditos, onde estão presentes os clássicos “Redenção” e “Sonhos Desfeitos” e outras canções em estreia como “Senhor Doutor”, “Sete Vidas de Cão” ou “Vício de Viver”. 
Leapkick - 2011
Os Leapkick prometem cativar o público com temas da sua autoria, certamente, pouco conhecidos do grande público, mas que prestigia um trabalho inovador e inexistente. O nome Leapkick provém de "um movimento de ataque" revelado numa sonoridade rasgada de influências bebidas num rock despido de preconceitos a nível da música e letras. Nesse sentido, a banda promete agitar os concertos por onde quer que passe. 
Os Leapkick são Bernardo Tomé, no baixo, Carlos Jesus, na guitarra eléctrica e voz, João Mexia, na guitarra eléctrica, e Pedro Sena, na bateria e coros.