Segue-nos por email

08/12/2010

Natal com rock a meio gás em Elvas

Perguntarão vocês como é possível unir o Natal à sonoridade rasgada característica do rock. Pois bem isso é possível e em boa hora alguém pensou em realizar uma iniciativa com estes contornos na cidade de Elvas.
Sabemos pois que na nossa cidade quando se faz critica-se, quando não se faz critica-se e certamente a minoria, aquela que faz, terá razões para ser feliz. Porém, por vezes, há (in)felizes coincidências.
Quem nos conhece sabe pois que respeitamos todo o tipo de bandas, sejam elas de rock, de metal, de música tradicional ou até de jazz, que toquem músicas covers ou originais. Mas, em Elvas, teimosamente há quem finja esquecer o trabalho de quem apenas gosta de se divertir em cima de um palco, colocando eternamente diversos grupos musicais de parte, sem que pelo menos exista um contacto ou um simples "olá, como estão?". A atitude de aldeia e de ideias fechadas num sentimento de posse de quem se diz "melhor" do Mundo, mesmo que o talento exista e seja reconhecido pela crítica, é sufocante para quem anda nestas lides. Respira-se um ar diferente num local tão pequenino e cada vez mais desinteressante como na cidade raiana.
Sempre nos pautámos por primar pela diversidade e, em Elvas, é inegável que existe um sem número de bandas musicais, mais do que em qualquer capital do distrito de um interior esquecido. Invulgar? talvez! Mas isto é a prova de que o valor está cá, os grupos sobrevivem, no entanto, cada um no seu galho e ai daquele que se lembre de juntar no mesmo palco quem não interessa.
Parece ser o caso, os Leapkick, que até hoje, só não pisou o palco com os agora adormecidos Jed Dickens, esperamos que por pouco tempo, vocês prometem pessoal. Ainda assim, para dizer que pelas conversas parecem ser dos poucos, a par dos Bfor, em que a mentalidade está bem refrescada e em que a geração - um dia chamada rasca - é afinal bem mais interessante do que essa classificação sugere. Aos Leapkick, curiosamente, aquele grupo que tantos desejam ver pelas costas, foi atribuido um prémio de simpatia num rol de 10 grupos de Portugal e Espanha num Festival lá fora, pois claro, na zona centro do país. Sim, em Elvas, seria impossível ou improvável se no perfeito juízo se encontrassem outros grupos da casa. É apenas um exemplo, porque prémios? Valem o que valem, não os levantamos como porta-estandarte, muito menos do tamanho de um rolo de cozinha estendido pelo país fora.
Não sei se ainda se lembram dos Destino Oculto, a génese dos actuais Leapkick, e que já então nos apelidavamos de grupo rock, embora admitindo hoje que outras influências musicais também lá estavam. Todavia, os Leapkick são uma ou a banda rock de originais em português de Elvas, ainda assim, porque são miúdos ou até porque incomodam, são completamente ignorados por aquelas pessoas que em tão boa hora se lembraram de organizar uma iniciativa tão louvável como aquela que descrevemos quando iniciámos esta conversa. Natal + Rock + Elvas - Leapkick = Natal com rock a meio gás em Elvas. Recordem esta "dica" e vejam o quanto ignorados somos na cidade em que nos inspiramos para escrever os temas originais, onde ensaiamos e, a qual, levamos bem alto sempre que actuamos fora do concelho. A iniciativa está para se realizar, sem Leapkick, aquela banda de uns putos que até são de Elvas, que até tocam rock, que até estão nestas andanças desde 2003, mas talvez por isso não mereçam figurar em eventos que têm lugar em Elvas e, organizado em grande parte, por pessoas ligadas à música desta aldeia de broncos à beira mar plantado.
Fazendo jus ao lema de uma grande superfície de electrónica de consumo: "Eu é que não sou parvo".
Bom Natal para todos!
Leapkick

3 comentários:

Xavier de Sousa disse...

Amigos
Como vos percebo... mas deixem-me dizer-vos: WELCOME TO THE JUNGLE!!!
Quando começaram a tocar, e eu que até acompanho de perto a evolução e quotidiano dos grupos pelos quais sinto simpatia, certamente nunguém vos disse que isto de andar pelo Mundo da música era fácil... Sem vos tirar qualquer das muitas qualidades, se no príncipio, ou por graça, novidade ou moda, até se consegue participar em alguns eventos, os anos vão passando e a laranja começa a perder o sumo... Não desistir é a palavra de ordem, e a união do grupo a motivação para o futuro! Como membro da direcção da Soc. 1º Dezembro, desde já vos digo que está prometida uma noite em 2011 para vários projectos elvenses, onde certamente contamos com os vossos sons!!!
Forte abraço!

Kikas S.O. disse...

PRIMEIRA PARTE

Olá pessoal...

Antes de mais gostava de vos felicitar pelo trabalho notável que têm vindo a desenvolver e que já tantas vezes disse que, no que for preciso, estaria cá para ajudar, prova disso é o conhecer bem as vossas músicas e saber a letra de algumas, o que mostra estar atento ao que vocês fazem e por isso tenho de vos congratular.

Têm sido um trajecto muito feliz.

Não tão feliz me parece este vosso comentário e passo a explicar porquê!!!

Penso que, não devendo explicações, uma vez que não fiz parte da organização, devo aqui expressar a minha opinião, uma vez que fiz parte integrante do evento.

A ideia do Natal Rock surgiu através de um grupo de amigos, são eles:

O Baterista de Sem Origem/Soversion (Luís Penetra) a título individual, do DJ Sam e de alguns elementos do Moto Clube Alentejano (MCA).

As duas bandas que faziam todo o sentido estarem no projecto eram os Boozers, uma vez que têm o Miguel e o Dinho na formação da Banda e são elementos do MCA. A outra seria os Sem Origem porque o Dinho (MCA) toca na banda e um dos criadores da iniciativa, o Penetra é o baterista. As outras bandas surgem porque no palco iriam estar sempre presentes alguns membros ligados às bandas inicialmente sugeridas, ou seja os XP Covers e Vinyl, que têm o Mário e o Veiga em comum, e tocam nos Boozers. É fácil perceber que, logisticamente, a coisa funcionava. Os DJ's foram todos convidados, uma vez que é mais fácil trabalhar num reduzido espaço. Os que não estiveram presentes foi porque por motivos pessoais não lhes foi possível.
Mas, e essencialmente, esta iniciativa deve-se a pessoas que estão bastante ligadas entre si por diversos motivos.

Mais coisas que não me parecem correctas neste Post:

1º - A atitude de aldeia e de ideias fechadas num sentimento de posse de quem se diz "melhor" do Mundo.

NOTA: Não sei a quem se dirige, mas um grupo de amigos cria um evento que funciona a todo o gás, humanitário e de solidariedade, não me parece uma atitude de aldeia e de ideia fechada. A parte do "MELHOR DO MUNDO" não sei a quem se dirige, mas não me parece de bom tom, não sei se podem explicar isto. Mas ok...

seguindo...

2º - Parece ser o caso, os Leapkick, que até hoje, só não pisou o palco com os agora adormecidos Jed Dickens, esperamos que por pouco tempo, vocês prometem pessoal. Ainda assim, para dizer que pelas conversas parecem ser dos poucos, a par dos Bfor, em que a mentalidade está bem refrescada e em que a geração - um dia chamada rasca - é afinal bem mais interessante do que essa classificação sugere.

NOTA: Como inicialmente disse, sempre gostei do vosso trabalho, já várias vezes falámos em pisar o mesmo palco, já tentei arranjar, um par de vezes, um concerto para vocês no Recreio, mas por diversos motivos VOSSOS nunca foi possível que tal viesse a acontecer... não estou chateado, mas fico muito triste por saber que não tenho a "mentalidade refrescada" depois de opinar pelo vosso trabalho, me mostrar interessado em ajudar em algumas coisas, como vocalizações ou o que quer que seja. Deveras que me sinto, de alguma forma, desiludido e aborrecido.

seguindo...

3º - Leapkick, curiosamente, aquele grupo que tantos desejam ver pelas costas...

NOTA: Acham mesmo que é assim??? E qual é a ideia de falar em prémios??? Não percebi muito bem...

CONTINUA...

KIKAS S.O. disse...

continuação...

SEGUNDA PARTE

4º - Todavia, os Leapkick são UMA OU A banda rock de originais em português de Elvas

NOTA: parece-me que esse "OU A BANDA" é exagerado... não me parece bonito ver os Sem Origem deixados para trás, aliás, estou sem palavras para mostrar a minha indignação perante isto, o que me parece uma falta de amizade tremenda, de respeito e atenção que a SOBERBA é uma coisa muito feia, daí ser um dos sete pecados.
Estou desapontado pessoal, e por esta altura não sei se escreverei mais a palavra "pessoal", porque ela costuma aparecer quando se trata de camaradagem e perante tamanha arrogância... Mais não digo.

5º - Natal + Rock + Elvas - Leapkick = Natal com rock a meio gás em Elvas.

NOTA: Já expliquei qual o critério para a escolha das bandas, mas permitam-me dizer que com este comentário é provável que a parte do "- Leapkick" passe a acontecer... e percebe-se porquê!!!


6º - não mereçam figurar em eventos que têm lugar em Elvas e, organizado em grande parte, por pessoas ligadas à música desta aldeia de broncos à beira mar plantado.

NOTA: Se até aqui estava desiludido com o POST... agora deitaram TUDO por terra!!!

Só para que saibam que as pessoas ligadas à música a que se referem são o Luís Penetra, o Dinho e o DJ Sam. A que vocês chamam de BRONCOS!!! MAS O QUE VOS PASSOU PELA CABEÇA PAH???


MAS ATENÇÃO!!! NÃO DISCORDO DE TUDO:

"vejam o quanto ignorados somos na cidade em que nos inspiramos para escrever os temas originais, onde ensaiamos e, a qual, levamos bem alto sempre que actuamos fora do concelho" eu concordo com isto... é verdade... sempre o disse... não entendo pk k os Leapkick (até hoje pessoal dos Leapkick) não toca em mais sítios...

Talvez este texto me leve a perceber porque que é que isso acontece... ou então espero, verdadeiramente, que ele tenha sido elaborado sem terem pensado muito bem naquilo que escreveram...

Espero que reflictam sobre o assunto e que façam o que têm a fazer, pois em causa estão muitas pessoas, projectos, bandas, dj's, instituições solidárias, gente carenciada, associações, sentimentos e vontades...

Por tudo aquilo que li, percebi que vocês acham que não têm notoriedade, pensem em consegui-lo trabalhando e movendo-se na sociedade civil... não tentem dar nas vistas através de Post's em blogues e que rapidamente surgiram nos vossos facebooks a falar mal de gentes e de iniciativas de louvar...

Gostava de dizer isto pessoalmente mas uma vez que vocês o fizeram publicamente também me parece justo fazê-lo!!!

Já agora gostava que o comentário fosse tornado publico uma vez que no cabeçalho do blog dizem o seguinte:

"Neste blog não são permitidas quaisquer mensagens anónimas. Aceitamos críticas positivas e negativas, estamos abertos a opiniões diferentes e vindas de qualquer lado desde que identificadas.

Quem quiser manifestar-se neste blog deve identificar-se, caso contrário toda e qualquer mensagem será imediatamente apagada. Pessoas sem nome e carácter não têm lugar aqui."

Kikas S.O.